fbpx
HyTrade Inbound Marketing

Neil Patel revela como ligar o seu marketing de conteúdo à receita

por dionei

Por Joe Lazauskas

Ler sobre a trajetória da carreira de Neil Patel, inevitavelmente fará você se sentir mal sobre você mesmo. Patel lançou o seu primeiro empreendimento empresarial – um quadro de empregos online chamado Advice Monkey – quando tinha 15 anos de idade. E, quando ele estava na faculdade, ele tinha fundado uma empresa (em sociedade) de marketing e SEO (Search Engine Optimization – Otimização para as Máquinas de Busca) chamada Advantage Consulting Services (Serviços Avançados de Consultoria), que tinha como clientes empresas que estavam na lista das 500 maiores da Revista Fortune, como Samsung, Amazon, Microsoft e Viacom. Antes de completar 21 anos de idade, Patel ganhou dinheiro suficiente para investir um milhão de dólares em uma empresa de hospedagem, a Vision Web Hosting. Ele perdeu todo o dinheiro desse investimento, mas isto não o fez diminuir o seu ritmo.

Hoje, Patel tem 29 anos de idade e foi o fundador de duas empresas de software de marketing de sucesso – a Crazy Egg e a KISSmetrics — bem como a Quick Sprout, um site que começou como um blog pessoal de Patel, mas que rapidamente se converteu em um negócio de consultoria de 1 milhão de dólares.

Todavia, a coisa mais impressionante sobre Patel, pode ser o fato de ele ter conseguido construir blogs com mais de 100.000 leitores para todos os seus três maiores empreendimentos, liderando o trabalho de escrevendo oito blog posts por semana. Ele produz uma imbatível combinação de truques de marketing de conteúdo, conselhos práticos e segredos de medição, que fizeram dos seus posts uma leitura obrigatória para qualquer pessoa deste ramo de atividades.

Eu encontrei com Patel para discutir como as marcas devem medir o sucesso do marketing de conteúdo, como as formas da SEO têm mudado, e como criar conteúdo apaixonante, que ressoe junto aos leitores.

O empreendedor em série Neil Patel.

Você jamais dorme? Porque a sua carreira até agora é um loucura.

Obrigado. Sim, eu durmo bem, mas provavelmente eu trabalho um pouco demais.

Como você conseguiu lançar um negócio de consultoria de marketing de 1 milhão de dólares, quando ainda estava na faculdade?

Foi necessário algum trabalho duro. O que eu aprendi disto foi que as pessoas pagarão pelos resultados. Se você realmente puder ser bom em alguma coisa, oferecer resultados e não for cheio de porcaria, você ficará chocado em ver quanto negócio você pode gerar.

Isto faz uma decente transição para o tópico do marketing de conteúdo, porque muitos profissionais de marketing de conteúdo estão tendo dificuldades para demonstrar aos seus patrões que o que eles estão fazendo funciona. Que conselho você dá a eles?

Quando se tratar de mostrar que ele funciona, tudo o que você precisa fazer é verificar os dados das análises estatísticas e você poderá mostrar a eles quantos visitantes eles estão tendo. Esta é uma maneira, que está além do alcance da marca.

Em segundo lugar, se você estiver coletando e-mails, você poderá mostrar quantos novos e-mails você coletou – porque e-mails valem dinheiro. As corporações sabem que, se você conseguir e-mails, então você obterá vendas.

Em terceiro lugar, você pode mostrar a eles quantos novos leads, ou vendas, ou pontos de conversão você realmente obteve através do marketing de conteúdo. Através de quaisquer ferramentas de análises você pode rastrear conversões baseadas em fontes de entrada. Como você pode ver, “Aqui está todo o pessoal que veio através do seu blog e aqui está toda a conversão que aconteceu”.

Você pensa com este tipo de metodologia? É possível ligar uma peça de conteúdo a um número de receita?

Sim, eu penso. Você pode não ter um número total no qual apareça mais receita, mas você pode pelo menos rastrear diretamente: “Eis aqui todo o tráfico que obtivemos do blog, aqui estão quantos leads ele gerou e aqui está quanto vale um lead (vale para nós), ou aqui está quantas vendas foram geradas”.

Nós fazemos isto com as nossas próprias empresas. Nós sabemos quanto vale um lead baseados na cotação da nossa equipe de vendas, etc. Nós podemos realmente ver o marketing de conteúdo como um fluxo de caixa positivo.

Para muitas marcas, ligar conteúdo á receita parece um pouco com uma situação de colocar a galinha antes do ovo, uma vez que muitas delas estão lutando com dificuldades para construir uma audiência leal. Você foi capaz de fazer três diferentes blogs de marcas crescerem para ter mais de 100.000 leitores. Como você fez isto?

No fundo, isto é ir um pouco mais adiante. Se você olhar para a maioria das pessoas que estão no mundo do marketing de conteúdo, tudo o que elas estão fazendo é escrever conteúdo para obter tráfico ou vendas. Elas não estão indo mais adiante. Se você puder realmente fazer o seu design muito melhor para criar conteúdo, isto é muito mais detalhado e indutor de ação, as pessoas o notam e têm maior probabilidade de compartilhar e de contar isto a outros.

Porque você acha que a maioria das grandes marcas, que detêm orçamentos muitos maiores que o seu, não conseguem sequer se aproximar de uma audiência de seis dígitos?

Porque a maioria das grandes marcas e blogs olha quanto dinheiro elas podem gastar para trazer as pessoas para o site, para criar um blog popular, ou o que for, ao invés de realmente pensar de outra forma.

Não se trata do tamanho do orçamento ou do que você pode fazer com o dinheiro. Trata-se de saber “Qual é a sua audiência alvo, ou o seu cliente ideal, de saber quais são os pontos dolorosos. De saber como eles estão lutando com dificuldades”. Então, sob a perspectiva do blog, você precisa entrar e resolver esses pontos dolorosos.

As grandes marcas estão simplesmente jogando dinheiro em coisas e realmente não estão pensando isto bem. Como tudo o mais no marketing, trata-se de resolver problemas. Se você puder ajudar as pessoas a resolver os problemas delas através do seu conteúdo, você tem uma probabilidade muito maior de fazê-las ler o seu blog e melhorar muito a tração, do que se você disser “Vamos gastar 100 mil dólares em marketing de conteúdo”. O que você irá fazer com os 100.000 dólares?

Você trabalha com muitas marcas. É este essencialmente o conselho que você dá a elas? Como você as faz mudar o comportamento delas?

A maneira como eu as faço mudar o comportamento é dizendo “Antes de nós decidirmos quanto nós queremos gastar e o que nós queremos fazer, vamos pesquisar as pessoas – os seus clientes atuais e potenciais – e vamos descobrir o que elas querem”.

Não importa o que você quer fazer ou o que eu quero fazer. A única coisa que importa é que você quer deixar os seus clientes mais felizes. A partir daí, você toma os dados e mostra a elas, com base nos dados, que isto é o que nós devemos fazer. Você precisa fazê-las criar decisões baseadas nos dados, ao invés de simplesmente fazer qualquer coisa que elas queiram.

Uma frustração que eu ouço muito é que muitas marcas tendem a ter um conceito ultrapassado do que é SEO. Elas ainda estão focadas em táticas de rechear com palavras chave, ao contrário de se ajustar à evolução de coisas, como o algoritmo Panda do Google. O que é importante agora mesmo para a SEO?

Quando se tratar de SEO, você não pode acabar apagando porcaria. Isto é o que eu sempre digo às grandes marcas. São os bons produtos e serviços que vendem continuamente no longo prazo. Se você perguntar à Coca-Cola “Porque vocês têm tanto sucesso”? É porque as pessoas amam a Coca-Cola. Este produto é fantástico.

Você precisa focar em lançar os melhores produtos. O mesmo vale para a web. Se for SEO, marketing de conteúdo, ou o que for, você precisa criar o melhor produto da Internet para oferecer às pessoas. Elas geralmente entendem este sentimento. Quando você mostrar isso para as grandes marcas, elas entendem isso e dizem “Muito bom. Não se trata apenas de palavras chave”.

Como você geralmente aconselha que as marcas realmente criem conteúdo? Devem elas construir uma equipe própria? Devem elas bater na porta de freelancers, ou de uma agência? O que você acha que funciona melhor?

Eu acho que todas as abordagens podem funcionar bem e podem falhar. Isto depende apenas do que a empresa quer fazer. Isto é simplesmente sobre achar as melhores pessoas, onde elas estiverem, se for numa agência, ou se você as contratar como autônomos, ou, talvez, como funcionários em tempo integral. Trata-se simplesmente de talento.

Se for uma boa pessoa, não importa onde ela está localizada, ou como você a contratar. Você deve achar a pessoa certa para trabalhar no projeto. Gente com experiência e apaixonada pelo conteúdo que está criando.

Esta entrevista foi editada e condensada.

Sobre o autor: Joe Lazauskas é Editor Chefe da Contently e um jornalista técnico e de marketing. Conecte com Joe em: @joelazauskas

Fonte: The Content Strategist

Imagem por: SarahLeung1/Flickr

Tradução: Fernando B. T. Leite

Content Strategist Logo® Copyright: Todos os artigos da Contently são traduzidos e republicados com autorização.

 

 

[wt_divider_dotted margin_top=”20″ margin_bottom=”20″]

Materiais gratuitos para você baixar:

[wt_portfolio column=”3″ ids=”2982,769,4460″ desc=”false” category=”false” more=”false” moreText=”Leia Mais »” order=”DESC”]

Você também pode gostar desses artigos

Deixe um comentário

* Ao realizar este comentário você concorda com a nossa política de privacidade.

Utilizamos cookies próprios e de terceiros com fins analíticos e para lhe enviar informação relacionada com as suas preferências, segundo os seus hábitos e o seu perfil. Para mais informações, você pode visitar a nossa Política de Privacidade Ok Política de Privacidade