fbpx
HyTrade Inbound Marketing

Você deve otimizar conteúdo para o Google AMP?

por HyTrade

Por Nicki Howell

Adotar os protocolos do Google AMP no seu website será a próxima grande coisa com a qual você vai lidar neste ano e nos anos seguintes.

De acordo com a Smart Insights, os dispositivos móveis estão ficando mais poderosos a cada dia, com 80 por cento das pessoas fazendo buscas na Internet através de smartphones. Igualmente importante, 70 por cento dessas pessoas agem dentro de uma hora após completar as suas buscas, diz Chris Warden em Convince & Convert. Elas estão buscando, estão prontas para tomarem decisões e ansiosas para agir, a não ser que a página seja carregada muito lentamente no dispositivo móvel. Então, tudo se resume a uma parada brusca, que impede a venda.

A pesquisa da DoubleClick mostra que a média do tempo de carregamento para as conexões de 3G é 19 segundos. Ela também mostra que 53% das visitas a sites através de dispositivos móveis são abandonadas, se as páginas demorarem mais que três segundos para serem carregadas.

Os profissionais de marketing, os usuários de dispositivos móveis e os principais participantes da web têm algo em comum: todos eles querem resolver este problema.

Os profissionais de marketing precisam conserta-lo, porque o carregamento lento das páginas em dispositivos móveis se traduz em menos tráfego e menores vendas. No lado dos participantes da web (redes de anúncios, máquinas de busca, editores e colaboradores), a motivação é proporcionar uma melhor experiência ao usuário. E os usuários apenas querem obter aquilo de que precisam, sem demoras frustrantes.

O que é o Google AMP?

O projeto Accelerated Mobile Pages (AMP) é uma iniciativa aberta que incorpora a visão de que os editores possam criar conteúdo otimizado para dispositivos móveis uma vez, e tê-lo carregado instantaneamente em todo lugar. Ele é o produto de uma coalisão de iguais, de empresas de tecnologia e de editores, liderados pelo Google. Até agora, os maiores editores incluem Time Inc., The Atlantic e The Huffington Post. Grandes empresas de tecnologia incluem o LinkedIn, o Twitter, a Adobe Analytics e a WordPress.

O projeto AMP funciona definindo um conjunto de especificações AMP abertas, com um conjunto limitado de funcionalidades técnicas permitidas, que priorizam a velocidade (por exemplo, as páginas AMP não incluem quaisquer autoescritos em JavaScript). A meta é construir, entre as páginas, um centro técnico mais comum, que acelere o tempo de carregamento. Além disso, os arquivos AMP podem ser armazenados em cache na nuvem, para reduzir o tempo que o conteúdo leva para chegar num dispositivo móvel de um usuário.

O projeto AMP está nos seus dias iniciais; o seu primeiro anúncio ocorreu há um ano, em outubro de 2015. Desde então, ele passou por grandes momentos:

O Google também oferece um cache que pode ser usado sem custo por qualquer pessoa. O Google AMP Cache armazenará em cache todas as AMPs; outras empresas também podem construir o seu próprio cache. Mas como funciona o AMP e como ficarão os resultados das buscas? O que isto significa para você e o seu website?

Google AMP: uma perspectiva do usuário

Nós sabemos que as páginas são carregadas mais rapidamente através do Google AMP. O aumento é significativo; as páginas AMP são carregadas quatro vezes mais rapidamente e usam oito vezes menos dados que as páginas tradicionalmente otimizadas para dispositivos móveis. Muitos provedores de telefones celulares cobram um valor prêmio pelo uso de dados, logo, este é um enorme benefício para os usuários. Mas, o que verão os clientes quando eles buscarem em seus dispositivos móveis e visualizarem as suas páginas nos resultados das buscas? Faça uma tentativa e descubra.

  1. Pegue o seu dispositivo móvel.
  2. Acesse a demonstração do AMP teclando g.co/ampdemo no navegador do seu dispositivo móvel.
  3. Tecle alguma coisa engraçada na caixa de buscas.

Verifique o exemplo abaixo. Nós teclamos uma receita de torrada francesa na caixa de busca. Uma vez que isto entrou na barra de busca, apareceu uma caixa no topo dela alertando-nos para os resultados em AMP. O texto diz “procure os resultados marcados como [símbolo em negrito mais claro] para ter uma experiência rápida destas páginas em dispositivos móveis”.

Google AMP

Depois de ver esta caixa, você pode escanear a primeira página dos resultados da busca para ver as páginas com o símbolo em negrito mais claro. Por exemplo, o resultado abaixo mostra o símbolo alertando os buscadores que está é uma página AMP.

Google AMP

De acordo com a Search Engine Land, há agora 600 milhões de páginas AMP em 700.000 domínios, e quatro milhões de páginas estão sendo adicionadas a cada semana. Eles esperam que, uma vez que os buscadores comecem a experimentar os benefícios do AMP, eles procurarão e continuarão a favorecer essas páginas.

Mas, até o momento, uma porcentagem muito pequena das empresas adotou o AMP. De fato, apenas 23 por cento dos profissionais de SEO agiram para implantar o protocolo Google AMP. Logo, se você estiver em cima da cerca sobre a adoção, quais são os principais pontos a favor e contra?

Google AMP: os principais pontos a favor e contra

Como acontece com qualquer nova ferramenta, os profissionais de marketing precisam pesar cuidadosamente os pontos favoráveis e contrários, para determinar se isto é bom para as suas empresas. Faz sentido adota-las agora, ou devem eles esperar e ver se a nova ferramenta dá certo e, caso não dê, se não é melhor investir os seus recursos em outros tipos de atividades?

Veja alguns fatores positivos a serem levados em consideração.

  • Exposição maior das páginas para dispositivos móveis. Atualmente, as páginas para dispositivos móveis demoram mais que três segundos para serem carregadas e têm uma taxa de abandono de 40 por cento. Como o Google AMP ajuda as páginas a serem carregadas muito mais rapidamente, esta taxa de abandono pode diminuir significativamente.
  • As vantagens para os que adotarem logo. Adotar o AMP pode ser um fator de classificação para o Google no futuro (mais sobre isto mais adiante). Adotar precocemente, pode, no futuro, significar vantagens sobre os principais concorrentes.
  • Sem custos. O AMP não tem custos, exceto os relativos aos seus recursos e ao seu tempo. A configuração do Google é grátis.

Há alguns inconvenientes. O AMP é relativamente novo, logo, os benefícios são especulativos, mas podem ser um fator no futuro.

  • Taxas de rejeição e mau conteúdo. Os buscadores acham o que eles estão procurando, e então, rapidamente saem da página. Se você estiver fazendo um grande trabalho com o seu conteúdo e estiver seduzindo os visitantes a explorar outras páginas, isto não deve ser um problema. Para as empresas que têm um conteúdo fraco, isto pode se traduzir em menos tempo gasto na página (mas, isto vale com AMP ou sem AMP).
  • Cegueira do símbolo. Os usuários pode começar a ignorar o AMP e, ao invés disso, selecionar os resultados da busca orgânica, de maneira semelhante à que ocorre quando os usuários ignoram anúncios no topo da página.
  • Buscas refinadas. Os usuários não estão felizes com os resultados, e então eles refinam as suas buscas e a sua página fica menor exposição.

Além disso, os leitores pode lembrar que o Google tem estado entre os líderes que incentivam os websites a adotar design responsivo. Você pode perguntar se as páginas AMP são o design responsivo, ou se são diferentes. Eles são diferentes e o Google não assumiu uma posição apoiando uma das alternativas, em relação à outra; entretanto, as páginas AMP são carregadas mais rapidamente que as páginas responsivas, logo, os desenvolvedores e os editores podem adotar ambas e seguir adiante.

Outra preocupação é que, enquanto o Google estiver promovendo a AMP, e a máquina de busca Bing da Microsoft a adotou recentemente, outras plataformas estão usando os seus próprios protocolos (Instant Articles do Facebook e News Format da Apple) para oferecer experiências mais rápidas para o usuário em dispositivos móveis.

O AMP afeta as classificações das buscas?

Uma das perguntas mais importantes que está na mente dos profissionais de marketing é esta sobre as classificações. Se você não adotar a ferramenta, a sua classificação na página dos resultados vai cair? O seu tráfego diminuirá? E você gerará menos tráfego, e portanto, verá menos leads no futuro? Se você estiver imaginando algo sobre as respostas a essas perguntas, você não está sozinho.

De fato, recentemente, John Mueller do Google respondeu essas perguntas num Google Hangout. Ele declarou simplesmente que, no momento, o AMP não é um fator de classificação. Mas, note as palavras, “no momento”.

Tradução? Se você decidir esperar e fazer nada com o Google AMP, isto está bem. Agora você não será penalizado. Mas, o Google tem ficado muito interessado, nos últimos cinco anos, na experiência nos dispositivos móveis. Portanto, é possível que, se os usuários responderem positivamente ao Google AMP, ele pode desempenhar futuramente um papel na classificação das buscas. Não ignore isto.

Dicas para usar o AMP

Você está pensando em tentar o Google AMP? Se a resposta for sim, comece por criar uma página e testar os resultados. A empresa oferece um tutorial que o leva (ou leva a sua equipe técnica) pela mão, através do processo, incluindo:

  • Criar a sua primeira página AMP
  • Encenar a página
  • Usar a ferramenta do Google para validação
  • Preparar a página para publicação

À parte dos aspectos técnicos da adoção do Google AMP (que podem ser passados para a sua equipe técnica), há que considerar o conteúdo. Fazer alguns ajustes no seu conteúdo pode ajuda-lo a obter resultados ainda melhores ao usar esta ferramenta. Veja algumas dicas para começar.

  • Crie um maravilhoso título. Em média, oito de cada 10 pessoas leem o título e, apenas duas delas também leem o resto. O Google já está destacando o seu conteúdo através do símbolo AMP. Capture ainda mais atenção elaborando um título que capture o máximo de resultados. Ou, melhor ainda, teste dois títulos diferentes e veja qual deles tem o melhor desempenho.
  • Use uma imagem bem colorida. Os pesquisadores descobriram que usar visuais coloridos aumenta a predisposição para ler a peça de conteúdo em 80 por cento. De fato, os posts que incluem imagens produzem 650 por cento mais engajamentos que os posts que têm apenas textos. Use imagens coloridas para se destacar e conduzir as pessoas ao seu conteúdo. Uma dica para ser lembrada é comprimir as imagens para reduzir o tamanho dos arquivos, e, se você for realmente um especialista, use diferentes imagens para diferentes tamanhos/tipos de telas.
  • Foque nas primeiras 100 palavras. O Google AMP mostrará a sua imagem no topo, seguida pelo título e então por diversas palavras da sua introdução. Portanto, assegure-se que, na sua introdução, o primeiro parágrafo seja bastante poderoso e bastante atrativo.

Como sempre, teste diferentes títulos, imagens e conteúdos. Simplesmente trocar algumas palavras e imagens pode produzir resultados significativamente melhores, logo, nunca deixe de testar.

Conclusão: com AMP ou sem AMP?

Para os profissionais de marketing, ser achado pelas máquinas de busca é a prioridade principal. Quando os clientes o descobrirem através das buscas em dispositivos móveis, você estará aumentando o número de pessoas que estão aprendendo, através do engajamento com a sua marca, e comprando de você.

O Google AMP está prometendo entregar a experiência mais rápida em dispositivos móveis que, tanto os clientes como também as marcas querem. E se eles tiverem sucesso, os que adotarem mais cedo podem ter grandes resultados, por que as experiências dos usuários são o coração de todas as marcas de sucesso.

Você já adotou o Google AMP? Se a sua resposta for sim, compartilhe os resultados.

[wt_divider_dotted margin_top=”20″ margin_bottom=”20″]

[wt_framed_alt_box borderTopColor=”#DD4A38″ borderBottomColor=”#dddddd” borderLeftColor=”#dddddd” borderRightColor=”#dddddd” borderTopWidth=”3″ borderBottomWidth=”1″ borderLeftWidth=”1″ borderRightWidth=”1″ bgColor=”#eee” rounded=”false”]

[wt_row]
[col-lg-9 col-md-9 col-sm-9]

Precisando de ajuda?

Não perca tempo, solicite uma diagnóstico para analisarmos o seu site e sugerirmos melhorias!

[/col-lg-9 col-md-9 col-sm-9]

[col-lg-3 col-md-3 col-sm-3]
[wt_margin type=”10″]
[wt_button colorStyle=”orange” size=”medium” type=”small_round” align=”right” className=”margin_20 wt_margin_r_0″ link=”https://www.hytrade.com.br/contato/”]Contato[/wt_button]
[/col-lg-3 col-md-3 col-sm-3]
[/wt_row]

[/wt_framed_alt_box]

[wt_divider_dotted margin_top=”20″ margin_bottom=”20″]

Sobre a Autora: Nicki Howell é uma profissional de marketing de conteúdo B2B, especializada no ramo da tecnologia. Ela ajuda os seus clientes a melhorar as suas taxas de respostas, a comunicar mensagens complexas e a gerar leads de alta qualidade. Você pode conectar com Nicki no LinkedIn, segui-la no Twitter ou aprender mais aqui.

Fonte: Act-On Software

Tradução: Fernando B. T. Leite

Act-On agency partner logo® Copyright: A HyTrade é agência parceira da Act-On e todos os artigos são traduzidos e republicados com autorização.

 

Você também pode gostar desses artigos

2 Comentários

Principais tendências do marketing de buscas para 2017 | HyTrade 26 de março de 2022 - 10:33

[…] AMP é sobre tentar servir conteúdo ao usuário da maneira mais perfeita possível, e prover a ele a melhor […]

Responder
Principais tendências do marketing de buscas para 2017 - HyTrade Inbound Marketing 26 de março de 2022 - 10:34

[…] AMP é sobre tentar servir conteúdo ao usuário da maneira mais perfeita possível, e prover a ele a melhor […]

Responder

Deixe um comentário

* Ao realizar este comentário você concorda com a nossa política de privacidade.